Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

quinta-feira, março 31, 2005

Futebol e Columbofilia

O blog já tinha dado conta do resultado do jogo entre o S. Roque e o Fajões, mas este assunto é outra vez publicado, visto ter sido divulgado um excelente artigo no "Correio de Azeméis" que dá conta de todos os pormenores do jogo.
Para tal, deixo o artigo na sua totalidade:

"Num derbie concelhio venceu a equipa que mais fez por isso, embora a formação de Fajões, a espaços, tivesse apoquentado o último reduto local, causando alguns calafrios aos comandados de Aurélio.

O estado do terreno, bastante pesado e escorregadio, em resultado da chuva intensa que caiu antes do início da partida e durante os primeiros 45`, não facilitou a vida aos atletas. Mesmo assim, as duas formações enveredaram, em determinadas alturas pela troca de bola rente à relva, beneficiando com isso o espectáculo. Nos primeiros minutos, embora fossem de estudo mútuo, as duas equipas procuraram chegar à baliza adversária. À passagem do minuto 12, a equipa da casa, na sequência de um pontapé de canto, quase inaugurava o marcador. Contudo na resposta, Ratinho, com o guarda-redes Lopes fora da baliza, rematou intencionalmente, mas a bola saiu ao lado. O número 10 dos azuis de Fajões, 10 minutos depois, mais uma vez, fez a bola passar muito próximo do poste esquerdo da baliza do guardião são-roquense, com este já batido.
O "gás" da turma orientada por Durbalino, para os primeiros 45` ficou por aí, já que, os canarinhos de S. Roque instalaram-se, então, no meio campo visitante. Primeiro foi Pedrinha, após jogada na asa esquerda do ataque local, à entrada da área a rematar em arco, fazendo a bola passar rente o poste direito da baliza de Zé Miguel. Os locais carregavam mais e, por volta da meia hora, o guardião fajoense estirou-se bem para evitar que a bola rematada por Sérgio entrasse na sua baliza. À segunda, Sérgio abriria mesmo o activo, após um bom trabalho de Armando, no centro do terreno, que serviu em condições vantajosas o número oito local; Sérgio, descaído sobre a esquerda, internou-se na área e, a sós com Zé Miguel, rematou para o fundo da baliza. A perder, a equipa de Fajões tentou ripostar à desvantagem, mas o adiantamento no terreno acabaria por ser-lhe fatal, já que, sobre a ponta final da primeira parte, foi apanhada em contrapé, aproveitando os locais para regressarem aos balneários com uma vitória mais consolidada. Num alívio da defensiva canarinha, Miguel, em disputa com um defensor forasteiro, conseguiu, por mais de uma vez levar a melhor e, já dentro da área, rematou cruzado, sem hipóteses para Zé Miguel.
No reatamento da partida, a equipa de Fajões poderia ter amenizado a desvantagem, mas a bola cabeceada por Jorge passou rente ao poste direito da baliza de Lopes. Quase de imediato, a formação de Fajões quase conseguia os seus intentos, num lance em que a posição do dianteiro visitante, descaído sobre direita, mesmo nas "barbas" do assistente do lado da bancada de José Pereira da Silva, deixou algumas dúvidas. A partir deste ímpeto inicial dos visitantes, os locais recompuseram-se e voltaram a equilibrar a contenda e Armando, aos 64`, poderia mesmo ter sentenciado a partida, mas, em posição privilegiada, o chapéu saiu torto.
Pouco depois a formação são-roquense ficaria reduzida a 10 unidades, por expulsão de Miguel, que viu o segundo amarelo. Era altura de resguardar mais o último reduto. As duas equipas pareciam conformadas com o resultado, em resultado do enorme esforço a que haviam sido submetidas ao longo dos primeiros 45` e nem as alterações levadas a cabo por ambos os técnicos trouxeram algo de novo. Apenas a registar dois lances de bola parada, um livre na esquerda do ataque visitante e um pontapé de canto; no primeiro caso, um homem de S. Roque, de cabeça, aliviou a sua defensiva de males maiores, enquanto na segunda foi o guardião Lopes a evitar que a bola, após a marcação de um pontapé de canto na direita por Bruno, entrasse directamente na sua baliza.
O trio de arbitragem não agradou a gregos nem a troianos. Nem sempre o árbitro soube distinguir as faltas efectivamente cometidas dos choques resultantes do estado do terreno. Pereira da Silva, sobretudo na segunda parte deu "festival" de apito, prejudicando o espectáculo com sucessivas interrupções.

-------------
S. Roque - Lopes; Renato, M. Rui, Luís, Marquitos, Daniel, Miguel, Sérgio (Max, 89`), Armando, Rodrigues (Samuel, 78`) e Pedrinha (Quinito, 65`)

Fajões - Zé Miguel; Rebelo, Kikas, Pedro, Cadete, Jorge (Daniel, 86`), Barbosa (Carapucinha, 68`), Bruno, Simão (Padeiro, 76`), Ratinho e Fábio.

Jogo no complexo desportivo do Calvário, em S. Roque.

Árbitro: José Pereira da Silva
Assistentes: Alcino Santos e Sérgio SilvaDisciplina: cartões amarelos para Daniel (6`), Simão (31`), Miguel (36`), Rebelo (48`), Barbosa (48`), Renato (56`) e Luís (87`). Cartão vermelho para Miguel (70`, a.a.).

Marcadores: Sérgio (35`) e Miguel (44`)."

Ainda no que ao desporto da freguesia de Fajões diz respeito, aqui ficam os resultados de mais uma jornada de columbofilia:

Ordem de Chegada:
1º Fernando Fernandes, 2º João Cardoso, 3º e 5º Pombal Quinta das Moutas, 4º Felisberto Costa, 6º Manuel Conceição, 7º e 8º Abílio Barbosa, 9º e 10º José Miranda.

A classificação geral do S. C. Fajões é a seguinte:

1.º P. Q. Moutas - 1053
2.º Abílio Barbosa - 1050
3.º José Miranda - 1010
4.º Albertino Silva - 966
5.º Fernando Fernandes - 939
6.º João Cardoso - 891
7.º Mário Silva - 891
8.º Fernando Soares - 862
9.º Carlos Silva - 764
10.º Armando Oliveira - 728

A luta pelo primeiro lugar está renhida, estando os dois primeiros classificados apenas separados por 3 pontos.

Saudações...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home