Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

quarta-feira, agosto 10, 2005

Entrevista a um menbro dos B. V. F.

Hoje tem início mais uma iniciativa do blog, que como já devem ter reparado se trata de uma entrevista. Pois, de agora em diante, serão publicadas novas entrevistas, todas relacionadas com as associações cá da terra.
A primeira entrevista a ser publicada, é de um dos elementos dos "Ratos do Mato" ou seja dos Bombeiros Voluntários de Fajões. Aproveito desde já para agradecer a disponibilidade para esta iniciativa.


Como estamos em época de fogos florestais, nada melhor que começar a entrevista com esse tema.

  • Qual a sua opinião sobre o que se está a viver actualmente no país?

Na minha opinião, daqui a pouco tempo não existem paisagens verdes, pois os incêndios estão a destruir o país todo. Tenho toda a certeza que no meio de todos esses incêndios terá mão criminosa, embora uma percentagem será reacendimentos das restantes áreas ardidas.

  • Mas será que não se podia melhorar muito o combate aos fogos?

Sim. Se os Bombeiros obtivessem, através da população, do estado, etc, mais apoio. Também se os proprietários dos respectivos matos, fizessem o favor de fazer a limpeza do seu terreno. Acho que as próprias câmaras municipais, deveriam criar grupos, que durante o Inverno limpassem as matas, que não eram limpas pelos proprietários.

  • E na zona de Fajões, qual a gravidade dos incêndios?

A gravidade é média, pois os incêndios não são de grandes proporções, fruto de uma intervenção rápida dos bombeiros. As habitações não se encontram muito junto das florestas, o que facilita o combate aos incêndios.

  • Sabe-me dizer quantas ocorrências para incêndio até à data?

Não sei responder ao certo, mas penso que foram mais de 70, mas como já disse é um número muito incerto.

  • Quais as maiores dificuldades vividas pelos bombeiros no combate aos incêndios?

São os declives das florestas e o próprio combustível que a floresta contém. Por vezes também as próprias dimensões do incêndio, pois provocam um enorme esforço físico de nossa parte.

  • Relativamente aos B.V.F., como estão relativamente de meios de socorro?

Em relação aos meios de combate aos incêndios, estamos bem servidos, embora em algumas ocasiões não nos cheguem, não pelo foco de incêndio ser de grandes dimensões, mas pelo facto de serem vários focos de incêndio espalhados por diversas zonas. Em saúde, penso que também estamos bem servidos. Penso que o que está a fazer mais falta neste momento aos B.V.F. será um carro de desencarceramento.

  • Com quantos elementos pode contar actualmente a corporação?

Cerca de 80.

  • Para terminar, qual a mensagem que gostaria de deixar ao nossos leitores?

Espero que depois de ler esta entrevista, que pensem que os bombeiros não são os "super homens", apenas tentamos salvar vidas e bens, enquanto estiver ao nosso alcance, e que pensem, que todos nós por vezes somos poucos, mas mais vale poucos e bons do que muitos e fracos. Nunca se esqueçam do que vos vou dizer. Sempre que virem um bombeiro seja à civil ou fardado, lembrem-se do seguinte: O bombeiro é aquele que fica, quando todos te abandonam! O mesmo se poderá dizer, "Vida por Vida".

0 Comentários:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home