Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

quarta-feira, novembro 30, 2005

José Santos recandidata-se à presidência

José Santos, presidente da direcção do Centro Social Dr.ª Leonilda Aurora Silva Matos, apresentou, no passado domingo, o plano de actividades e o orçamento da instituição para o ano de 2006. Nas valências de creche, jardim-de-infância e A.T.L, o plano de actividades foi elaborado até ao mês de Julho, altura em que os miúdos são levados à praia antes de irem de férias. No entanto, o próximo ano começa com uma reunião com os pais para ser apresentado um trabalho das crianças acerca dos piolhos, uma vez que, como considerou o presidente, não se deve esconder que um miúdo tem piolhos para evitar que estes se propaguem aos restantes colegas.
A comemoração de efemérides, como o Dia do Pai, da Saúde, da Mãe, da Criança e dos Avós também consta do plano de actividades, assim como a celebração do Carnaval, com a realização de um baile de máscaras, e o passeio de finalistas para os miúdos do A.T.L. Em Março, destaque para as comemorações dos 25 anos da instituição e do aniversário da patrona da instituição.
Já o plano anual de actividades do centro de dia e apoio domiciliário é mais extenso e diversificado por dizer respeito a todo o ano, ao longo do qual serão realizados trabalhos manuais, actividades de expressão dramática e musical, e actividades promotoras de convívio e do bem-estar do idoso. Com o objectivo de promover o convívio entre os idosos das diferentes instituições do concelho, mensalmente os utentes seniores da instituição participarão numa actividade inter-institucional. De acordo com o plano apresentado, duas vezes por semana, no período da tarde, os idosos são visitados por um grupo de vicentinas que com eles rezam o terço; em Abril, realiza-se um passeio à Feira de Março, em Aveiro; em Maio, os idosos vão participar no Campeonato de Boccia. Já em meados de Setembro, realiza-se uma viagem de comboio até à feira de Espinho e, em Dezembro, promove-se a ida ao shopping, entre muitas outras iniciativas ao longo de 2006.

Instituição espera aprovação do projecto APEDALAR
José Santos apresentou, igualmente, o plano de actividades da Equipa (Re)Agir, que surge no âmbito do protocolo celebrado entre o Centro Social e o Centro Regional de Segurança Social, que prevê a possibilidade das Instituições Particulares de Solidariedade Social participarem no desenvolvimento de acções inerentes ao acompanhamento dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI).
A trabalhar desde Julho deste ano, a Equipa prevê, mensalmente, acompanhar os beneficiários do RSI e suas famílias; fazer o atendimento e acompanhamento social; consultas de psicologia, entre outras actividades. Ao longo do ano espera-se que esta valência da instituição faça, ainda, o acompanhamento social e psicológico quando solicitado pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens; crie um banco de recursos e, também, um ciclo de formações intituladas "Melhores hábitos... mais vida". Até ao momento, a Equipa dá assistência a 40 famílias do concelho de Oliveira de Azeméis, sendo objectivo alargar este número para as 60.
À espera de aprovação está o projecto APEDALAR (Apoio Permanente Domiciliário Ambulatório no Lar), que surge no âmbito de uma candidatura ao Programa de Apoio Integrado a Idosos (PAII) e envolve uma verba de 300 mil euros, sendo que 200 mil são financiados pelo referido Programa.
Com este projecto - que surge do número insuficiente de apoio ao nível da valência do apoio domiciliário, com o aumento significativo de idosos com insuficiente apoio de rectaguarda - a instituição pretende prestar serviço a 15 utentes, 24 horas por dia, nas freguesias de Fajões, Cesar, Macieira de Sarnes, Nogueira do Cravo, S. Roque, Carregosa, Pindelo e Ossela. "Mais tarde pretendemos alargar o apoio às restantes freguesias do concelho", adiantou o presidente da instituição.
O projecto APEDALAR tem, ainda, como objectivo realizar pequenas reparações e arranjos em cinco habitações; prestar cuidados de ordem física, no serviço da alimentação e nos serviços de saúde. Ainda no âmbito do projecto, é intuito do Centro Social adquirir dois veículos, criar uma ligação com o idoso através do tele-alarme, o que vai implicar a contratação de mais funcionários.

Obras, veículos e dinheiro no Centro Social
Apresentado também por José Santos, o orçamento do Centro Social Dr.ª Leonilda Aurora Silva Matos, a contar com a aprovação do projecto APEDALAR, regista um resultado líquido a rondar os 89 mil euros. "A instituição, neste momento, cumpre na totalidade o orçamento de 2005", frisou o presidente da direcção, salientando, contudo, que, quando assumiu o comando do Centro Social, o orçamento deste era de 390 mil euros e fazia-se acompanhar de uma dívida de metade dessa verba.
Já o orçamento de investimentos, dividido entre construções, aquisição de equipamento básico e de transporte, apresenta um valor de 232 mil euros. Conforme justificou José Santos, o Centro Social "vai buscar" esta verba a subsídios diversos e a "outros financiamentos". Feitas as contas, no final, a instituição fica, ainda, com resultado positivo, segundo as palavras do presidente da direcção.

José Santos é recandidato

A terminar o seu mandato, José Santos elogiou o trabalho desenvolvido pela equipa que o acompanhou, ao longo destes três anos, e anunciou que, depois de falar com vários sócios e com a Dr.ª Leonilda Aurora, tomou a decisão de se recandidatar à direcção da instituição. Consciente de que o próximo ano será "muito difícil", o ainda presidente manifestou o seu desejo em que a valência de A.T.L. se mantenha na instituição, dizendo que "seria uma cobardia se abandonasse a instituição numa altura destas", deixando, contudo, essa decisão nas mãos dos associados.
Avelino Pinho, que apresentou a sua demissão do cargo de presidente da assembleia, usou da palavra para questionar a direcção sobre uma carta que recebeu em Setembro a pedir o pagamento das quotas de 2006. "Será normal ou fui uma excepção?", interrogou. Posto isto, José Santos disse que foi um erro, porque devia referir-se a 2005 e não ao próximo ano.
Também na rubrica "outros assuntos", Nelson Oliveira sugeriu que as crianças da instituição saíssem à rua no dia de Carnaval para serem vistas tanto pelos populares, como pelos pais. Contudo, o presidente da direcção justificou que, para que isso acontecesse, as funcionárias teriam de trabalhar no feriado e depois a instituição teria de lhes pagar ou dar um dia em troca. "Desde que vim para a instituição que nunca pagámos horas extras", defendeu José Santos.
Levantada a hipótese do actual presidente receber uma recompensa monetária mensal por todo o trabalho realizado em prol da instituição, José Santos, mostrando-se sensibilizado pelo gesto, disse que "não tenho possibilidade de dar dinheiro ao Centro Social porque vivo da minha reforma. E, se me tirarem a possibilidade de trabalhar gratuitamente para a instituição eu fico pobre".
Antes de terminar a assembleia, o presidente da direcção apresentou uma proposta para um novo regulamento eleitoral, que foi aprovado por maioria, com um voto contra e uma abstenção. Assim, as eleições para o Centro Social são a 18 de Dezembro e as candidaturas devem ser entregues na sede da instituição até às 18 horas do dia 9 do próximo mês. A assembleia aprovou, ainda, a proposta da direcção para abrir uma conta de solidariedade para pessoas carenciadas a movimentar pelo presidente e pela directora técnica do Centro.

Fonte:
  • Correio de Azeméis

  • 0 Comentários:

    Enviar um comentário

    Links to this post:

    Criar uma hiperligação

    << Home