Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Centro Social inaugurou carrinha com báscula elevatória

Com a inauguração de uma nova viatura que tanta falta fazia à instituição, o Centro Social Dr.ª Leonilda Aurora da Silva Matos esteve em festa, na passada quinta-feira. Na presença de idosos do centro de dia, funcionários e direcção, o Pd.e Telmo Magalhães procedeu à bênção da carinha, a única da instituição com báscula elevatória para duas cadeiras de rodas, sendo que o Centro Social tem seis idosos dependentes deste meio de transporte. No entanto, com um total de cinco viaturas, o presidente da instituição, José Santos, frisou que este número é, ainda, insuficiente para responder a todas as necessidades da instituição.
O orçamento do ano passado já previa esta nova carrinha, mas, com o decorrer do ano, a direcção da instituição foi esperando que aparecesse uma "madrinha" para oferecer esta dádiva ao Centro Social. Mas, como tal não aconteceu, o organismo comprou a carrinha e, de pronto, a benemérita que dá o nome à instituição disponibilizou-se a ajudar a pagar a viatura, que vai servir, exclusivamente, os idosos do centro de dia. Refira-se que, além desta valência que dá apoio a 74 idosos, incluindo o domiciliário, o Centro Social acolhe 40 crianças na creche, 47 no jardim-de-infância e 57 no ATL. As empregadas são 35.
A terminar o seu mandato e com eleições à porta, o já anunciado recandidato à presidência do Centro Social frisou que muito há ainda a fazer na instituição. São disso exemplo as obras para as salas do Rendimento Social de Inserção e de ATL e para a valência de lar, uma das lacunas da instituição como reconheceu José Santos.


"Nunca conheci um inimigo"

Quem continua a ajudar financeiramente todas as instituições de Fajões é a benemérita Leonilda Aurora da Silva Matos e agora que o Centro Social, que adoptou o seu nome, também precisou lá está a sua mão generosa a contribuir para o pagamento da nova carrinha. "Com 87 anos nunca conheci um inimigo nem me zanguei com ninguém", frisou a Dr.ª Leonilda Matos, que, além do apoio financeiro às instituições, dá, igualmente, apoio espiritual aos seus utentes.
Tal como é habitual, também este Natal a comendadora vai oferecer um presente a todos os idosos do Centro Social e aos da sua terra, Válega, bem como às colectividades de Fajões.
Mostrando-se satisfeita pelo funcionamento do Centro Social, a Dr.ª Leonilda Matos confessou que esta instituição está a ser aquilo com que sempre sonhou, pelo que agradece aos órgãos sociais e funcionários da mesma.
Reconhecendo a importância do novo equipamento para a instituição, o vereador da Câmara, António Rosa, disse que "temos que reconhecer e incentivar estas situações e apoiar as pessoas que se disponibilizam a doar o que é seu à comunidade". O representante da autarquia salientou, ainda, a importância da viatura e das suas características inovadoras na instituição, contribuindo, assim, para a melhoria da qualidade de vida dos utentes. "Qualquer um de nós pode vir a precisar destes equipamentos", recordou António Rosa.

ATL é a preocupação

Tal como já o tinha feito na assembleia do Centro Social há poucos dias atrás, José Santos voltou a manifestar a sua preocupação com a continuidade da valência de ATL na instituição. "Quando a Câmara Municipal pensou no alargamento dos horários das escolas devia ter pensado que existe aqui um ATL que deu provas quando o horário dos professores foi reduzido", alertou o presidente do organismo, dizendo que há actividades extracurriculares que as instituições podem fazer.
Contudo, José Santos deixa, desde já, um aviso caso o alargamento dos horários coloque em risco o funcionamento do ATL no Centro Social de Fajões. "O Governo terá de arranjar soluções para as funcionárias do ATL, porque é impensável o despedimento das mesmas pelas indemnizações que isso acarreta".
Por enquanto, o pedido de inscrições nesta valência está a aumentar, uma vez que, como justificou José Santos, "as escolas ainda não têm as melhores condições, mas quando tiverem não sei como vai ser", lamentou o presidente do Centro Social, argumentando que actividades como o Inglês, a piscina ou a ginástica podiam ser ministradas na instituição.
O representante da Câmara nesta inauguração referiu que esta é uma matéria sobre a qual não podia falar, uma vez que não é do seu pelouro, remetendo o assunto para o vereador da Educação, Albino Martins. Reconhecendo que as escolas estão a atravessar uma fase de alteração, António Rosa afirmou, sem adiantar mais pormenores, que as instituições com as valências de ATL "têm que se adaptar à nova realidade".


Fonte:
  • Correio de Azeméis
  • 1 Comentários:

    At 16/12/05 11:01 da tarde, Anonymous Alzira Macedo (alemanha) said...

    Olá amigos...

    Sinto em vosso blog falta, da emoção natalicia .
    Onde fico um pouco triste com isso,
    Falando pelos emigrantes espalhados pelo mundo, que precisão neste momento de um pouco de apoio moral.
    Precisamente nesta época onde nem todos poderão regressar ao seu berço maternal, e poder festejar NATAL!!!
    Vocês que aí residem, não vos passa pela cabeça o sofrimento dos que cá moram, sem terem família para comemorar, rir e até chorar.
    São momentos difíceis de suportar, não só pelo frio como com os seus não estar.
    Desejo a todos quanto sua terra natal possam visitar!
    Boa viagem assim como bom regresso depois das saudades matar.
    Beijo amigo de mais uma emigrante.

     

    Enviar um comentário

    Links to this post:

    Criar uma hiperligação

    << Home