Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

sábado, fevereiro 25, 2006

NOTÍCIAS CURTAS... do país

1 - DESEMPREGO: mudar o modelo de subsídio
O Governo quer mudar o modelo de subsídio de desemprego e impor o dever de "procura activa" de trabalho, à semelhança do que já acontece noutros países da Europa.
Para os jovens com menos de 30 anos e dois de emprego, passarão a receber subsídio de desemprego num período máximo de 6 meses, e pretende aumentar o período de subsídio dos trabalhadores com mais de 45 anos (que hoje tem direito a 24 meses).

2 - SINISTRALIDADE: novas medidas
O Governo, preocupado com a sinistralidade nas estradas portuguesas, uma das mais altas da Europa, tem em preparação medidas legislativas onde é previsto, nomeadamente para os "recém encartados" a obrigatoriedade de durante os primeiros dois anos, só poderem conduzir "carros estrangulados". A medida não é inédita, já que nas motos isso já acontece.

3 - PORTUGAL: país de risco
Portugal é um país de risco elevado quanto ao equilíbrio das contas do Estado, a prazo.
Esta é a opinião da Comissão Europeia, que considera necessário a tomada de medidas rigorosas para travar o défice.
No fundo, querem que sejamos mais poupados e se não vamos com advertências, as coisas irão ser muito duras.

4 - BASILIUS: o fecho
Uma das fábricas de referência na região, visitada por ministros e presidentes, anunciou o seu fecho para o próximo mês de Abril. 65 empregados já negociaram a sua saída.
A fábrica detém um parque de máquinas moderno, sólida estrutura financeira, muito acima da média do sector, tem mercado, mas invoca como motivo a concorrência do leste, com salários muito baixos.
Coincidência ou não, duas boas fábricas (a Calçado MIKITO e agora a BASILIUS) anunciam o seu fim com argumentos que não convencem. Conheço pessoalmente os dois empresários responsáveis pela gestão dessas fábricas e não acredito nos argumentos invocados, porque se essas não conseguem sobreviver à concorrência, 90 e muitos por cento do sector do calçado teria que fechar. São duas pessoas com idade suficiente para estarem na reforma se trabalhassem por conta de outrem, gozam de muito boa situação financeira e ... não têm filhos que assegurem a continuidade: Parece-me ser este o verdadeiro problema. Como qualquer pai, procuraram dar formação aos filhos para que tivessem a opção de poder recorrer a outras alternativas de vida, e eles assim o fizeram.
Fica um voto de pesar para os trabalhadores, apesar de ser uma situação previsível para quem estivesse mais atento. Para o Sr. Carlos e Sr. Rocha, os desejos de que possam gozar uma reforma a que têm direito como qualquer ser humano e a gratidão de terem durante muitos anos assegurado o sustento de muitas famílias.

5 - PORTUGAL NO SEU MELHOR (!)
A Empresa do Metro do Porto S.A. pagou cerca de 650 mil euros de prémios de gestão aos 3 membros da Comissão Executiva durante o período de 2000 a 2003.
Estes factos foram apurados numa auditoria de 2005 da Inspecção-Geral de Finanças à gestão do Metro do Porto.
Note-se que a empresa sempre apresentou resultados negativos, chegando mesmo em 2004, a apresentar um prejuízo de 38 milhões de euros.

Por: Manuel Rui Pinho

1 Comentários:

At 6/4/06 5:58 da tarde, Anonymous nuno de oliveira said...

antes de mais, obrigado pelo elogio e pelo respeito. só para corrigir um pequeno lapso, o Sr. Carlos Dias de Oliveira desligou-se desta empresa no ano de 2000.

enquanto administradores da Basilius, eu próprio e o meu cunhado, Ildefonso Simões, tentamos continuar o excelente trabalho que o meu pai, Basilio de Oliveira, iniciou.

uma vez que todo o cenário político, económico e social que alimentava a concorrência se alterou drasticamente, desde a abertura da Europa de Leste até à "abertura" da Ásia, decidimos dar terminus a 33 anos de empresa da forma que pensamos ser a mais digna.

a confirmarem que foi a atitude correcta, estão 63 colaboradores que, logo desde o dia em que anunciamos o encerramento nos apoiaram e continuaram a trabalhar normalmente. estão também vários fornecedores que nos prometeram e cumprem as entregas necessárias até ao último dia de laboração.

estamos, de facto, a querer que esta empresa seja, também na hora de fechar, um exemplo para o sector e para o cenário empresarial nacional.

obrigado pela atenção dada.

n.oliveira@basilius.pt

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home