Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

sexta-feira, março 10, 2006

Estrangeiros candidatam-se e votam pela primeira vez em alguns cantões Suiços - Por: Albino Pinho

Aqui no cantão do Vaud onde resido, cuja capital é Lausanne, há um feito histórico que merece ser realçado e contado para que vejam como funciona a democracia em terra helvéticas. Democracia única no seu género e tida como uma das mais avançadas do mundo.
Neste caso vou falar-vos das eleições comunais e municipais, equiparadas ás nossas autarquicas ,( as comunais, elegem o presidente da comuna e o o vice e as municipais a assembleia). e só nessas, por momento, e pela primeira vez os estrangeiros que habitam no cantão á um determinado tempo, e em determinadas condições, podem candidatar-se e claro votarem.
A campanha já começou á umas semanas atrás. Nada de grandes alaridos, os candidatos de listas independentes, ou de forças partidarias aproveitam á saida dos comercios, para oferecerem um aperitivo, ou uma flor aos eleitores, sempre acompanhado de um largo sorriso. Nada de ataques pessoais. nem de grandes confusões, tudo funciona assim ambiente "bon enfant". Os debates televisivos são poucos e passam quase despercebidos. Também comícios publicos são poucos, e pouco frequentados. Toda a propaganda é afixada em locais apropriados, e só nesses locais. Para escolherem os bons representantes não há necessidade de grandes confusões dizem eles. É que o grau de civismos e cidadania é tão elevado, que se o autarca não cumpre o que promete, pode ter a certeza que sai fora na próxima. Também não consta haver actos de manipulaçãos e muito menos de corrupção, pelo simples facto que acima referi, e se alguém fosse tentado a fazer isso seguramente que politicamente estava acabado.
Outro facto curioso, é que toda a propaganda dos candidatos além de vir ter a casa pelo correio, traz também os respectivos boletins de voto. Cada força concorrente envia dois boletins de voto com os seus candidatos. Num boletim vem os seus dois candidatos á presidencia e vice presidencia da comuna, no outro uma lista de 25 candidatos ao conselho comunal. Se no primeiro não podemos tocar, no segundo podemos alterar a ordem dos candidatos, substitui-los até ao máximo de 70, ou suprimi-los, quase todos, no minimo tem de ficar um.
A votação pode processar-se no local de voto em hora e dia marcado. Podemos enviar o voto pelo correio no envelope fornecido para o efeito, ou simplesmente meter numa urna especial que se encontra na comuna em horas de expediente. Para isso cada eleitor recebe conjuntamente com os boletins de voto uma folha A5 com os seus dados pessoais, na dita folha em cima tem um código de barras com todos os seus dados de eleitor, mais uma barra com o ano de nascimento do votante, que ele deve completar com o dia e mês de nascimento, e assinar. Tudo isso, os dois votos, mais essa folha preenchida são metidas dentro de um envelope especial, que serão validados nos locais e formas que acima expus.
Não há duvida que é uma forma muito diferente da nossa, mesmo muito "suis generis" daí lembrar-me de partilhar com o leitor esta experiencia, de uma democracia que não sendo ainda perfeita tem funcionado muito bem, sem ser preciso descer tão baixo como alguns autarcas aí da nossa praça. Talvez um dia teremos a mesma consciencia do que é cidadania, e democracia na sua ascenção da palavra. Ía-me esquecendo, eu e a minha familia todos votamos, não vos digo em quem como é óbvio, também não vos interessava. Já começam a aparecer alguns Portugueses em algumas listas, é bom sinal, pode ser que um dia transportem esta mais valia e estas experiencias para as suas terras em Portugal. Será sempre uma experiencia enriquecedora.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home