Toda a informação relacionada com a freguesia de Fajões; AGENDA: 29/01 - S. Roque - Fajões (15.00 horas)// TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES

sábado, março 18, 2006

A minha primeira aventura por terras helvéticas - Capitulo IXX - Autor: Albino Pinho

Capitulo XIX

Descemos para Neuchatel ao fim da tarde, á boleia para poupar alguns cobres, no trajecto passamos por uma operação de stop da polícia, felizmente tudo se passou bem, mas não ganhamos para o susto.
Com o passar do tempo, o dinheiro já começava a escassear, pois tinha de comprar alguma comida, mais as deslocações em comboio para a procura de trabalho, embora muitas das minhas deslocações fossem á boleia. O Aníbal começava a ficar preocupado, pois o seu patrão já começava a suspeitar da minha presença.
Sem saber bem o que mais fazer de repente tive um ideia no minímo original. Escrever os meus problemas, e sonhos ao padre da paróquia de Le Landeron. Para isso socorri-me do meu dicionário, Português-Francês básico, e sem ligar muito aos verbos, utilizei as palavras mais directas. Tentei pintar o quadro mais escuro ainda do que ele era, inclusivé que já estava a passar fome, o que no fundo não era inteiramente falso. Tinha sido educado que para arranjar um trabalho, ou obter algum favôr, deve-se contar uma história o mais dramática possível.
Depois de escrita a minha trágica história, enchi-me de coragem meti o meu precioso papel ao bolso, e fui até á igreja de Le Landeron, pois se havia uma igreja devia haver um padre, Rondo a igreja mas não vejo jeitos de nada, há um senhor já idoso ao lado da igreja que me olha com ar interrogativo, com o meu francês rasca perguntei onde morava o padre da terra, ele explicou-me verbalmente, apontando ao mesmo tempo para a igreja de Cressier, cuja torre sineira se via perfeitamente aí a uns 3 km, dizendo que era lá que habitava o pároco da Le Landeron.
Agradeci e meti-me a pé até Cressier, estava determinado acabar com a minha situação, e quem sabe o padre não tivesse compaixão e me podesse arranjar um trabalho, pois devia ter muitos conhecimentos.
Uma boa meia hora de caminho, na planicie, sempre com a torre sineira como ponto de referência, sentia no meu interior uma força e optimismo bastante fortes.

(Continua...)

Ligações e créditos:

  • Capitulo XVIII

  • 1 Comentários:

    At 19/3/06 11:43 da tarde, Anonymous Anónimo said...

    A seguir a 18 (XVIII), vem o 19, 10+9, logo XIX.

     

    Enviar um comentário

    Links to this post:

    Criar uma hiperligação

    << Home